Nobres colegas Contadores(a),  Técnicos(a) em Contabilidade do Tocantins e do Brasil, e toda sociedade em geral, hoje , mais uma vez,  estamos vendo uma série de notícias nacionais sobre “corrupção e desvio fraudulento de dinheiro público” no nosso novo Estado do Tocantins. E nós, os profissionais da Contabilidade, sabemos que desde o descobrimento do Brasil a corrupção e a malversação dos recursos públicos está impregnada aqui no nosso Brasil e em todos Estados da Federação e, mais ainda, no Distrito Federal.

Há quem diga, para muitos, menos para mim, que isto já faz parte da cultura do povo brasileiro. E o pior, nobres colegas, é que as notícias sobre “CORRUPÇÃO”, já não geram mais tanta revolta no meio social, pois já se tornou algo mais que rotineiro nos meios midiáticos. E vejo isto com muita preocupação e gravidade! As pessoas comentam sobre o assunto, os nossos representantes políticos falam e prometem combater a corrupção, mas até o momento pouco fizeram para coibir esta prática que deixa cada vez mais pobre e desiludido o novo Tocantins e o País.

As leis que tratam sobre o assunto só são aplicadas de maneira punitiva, deixando ainda assim, brechas para defesa dos praticantes da corrupção. É necessário, utilizar de instrumentos mais eficientes, preventivos e corretivos para que as manobras corruptas não aconteçam. Temos ferramentas inovadoras na Contabilidade Pública, que quando utilizadas com precisão e seriedade, minimizam a prática ilícita, com certeza!.

A nossa Contabilidade Pública, hoje, pode detectar problemas de gestão e práticas fraudulentas que são exercidas por aqueles que praticam a corrupção no Tocantins e no Brasil. A autonomia e a inserção do profissional da Contabilidade Pública no Serviço Público, é de fundamental importância nas áreas de Controle Interno, Auditoria Governamental, Controladoria e Contabilidade Pública, pois combatem de forma eficiente os erros propositais, as fraudes e as formas tendenciosas de práticas corruptas na máquina pública Brasileira. Basta quererem que funcione!

Colegas, sabemos nós, que em outros Países, a “Contabilidade Pública” é empregada de forma efetiva no serviço público e no privado, pois lá o Contador(a) é visto como o gestor das informações financeiras da organização, é respeitado, protegido e super valorizado, pois cabe a ele a eficiência e eficácia das Contas Públicas e o uso correto de sua boa aplicação. Quero finalizar este meu desabafo,  enfatizando que o uso da Contabilidade nas empresas públicas e privadas de maneira autônoma e independente irá contribuir muito para uma sociedade mais justa e mais rica, pois os nossos recursos são melhores controlados e gerenciados, minimizando assim a corrupção no Brasil.

Espero também, que o nosso Conselho de Contabilidade se atente para isto, e faça a sua parte fiscalizando também os órgãos Públicos do País, para saber se a Contabilidade pública está sendo executada por um profissional da área e devidamente habilitado para tal, protegendo com isto a sociedade Brasileira.

Pensem e reflitam sobre isto!
Cabe a nós  mesmos a nossa real valorização profissional!

 AUDITOR DETE NUNES-CRC-TO-0292

_ Bacharel em Ciências Contábeis.
_  Bacharel em Direito.
_ Pós Graduado em Auditoria Pública.
_ Pós Graduado em Administração Financeira.
_ Pós Graduado em Língua Portuguesa.
_ Auditor de Controle Externo do TCE-TO.
-Vice Presidente Nacional da Confederação dos Profissionais Contábeis do Brasil – APROCON-BR.